Vamos escrever? Bora! Mas sobre o que?

E é assim, ou mais ou menos, nessa situação que toda vez que penso em escrever e aí fica por isso mesmo, cada um no seu canto (eu no meu canto e o blog largado, no caso) e ninguém entra nesse assunto. Parafraseando Aécio Neves, e ele falou muito isso durante as eleições, “infelizmente a verdade é essa”, eu não tenho mais o que escrever.

Estudiosa

Eu já não tenho mais saco pra tentar ser engraçadinho com tudo, o tempo me deu uma vergonha na cara grande demais para falar besteira por falar e isso seca a fonte de inspirações para postagens tal qual o Cantareira está agora.
Eu também, curiosamente, não tenho saco pra falar das coisas que mais leio, tecnologia. Por ser algo que eu estou SEMPRE lendo, eu não tenho vontade nenhuma de escrever sobre, até porque seria mais do mesmo, alguém já falou, eu não tenho necessidade de reforçar minha opinião em textões de mais de 10.000 caracteres. E pra expor opinião não solicitada já existe o twitter.

DesistoEu podia ter aproveitado a deixa da Copa pra falar de futebol, mas entendo muito pouco quase nada, além de realmente não me importar com isso fora da época do Evento. Mas tivemos as eleições, certo? É, a primeira que acompanhei de forma decente e consciente como um bom cidadão, então não, não tenho bagagem pra achar que posso registrar minha opinião na internet, pra isso existe o botão “share/compartilhar” do Facebook (e a tendência do momento, os textões).

Escrever textos meta como esse também são um saco e algo que ninguém em sã consciência deveria perder tempo lendo, nem escrevendo, mas sei lá, se eu não escrevo isso hoje semana que vem ou na próxima eu acabaria nessa mesma posição.

E assim, sem eira nem beira, sem nenhum sentido e sem nenhuma conclusão termino esse texto sem saber sobre o que escrever, mas com uma certeza bem clara: Eu escrevi.